Politica de investimentos = curto prazo.

Politica de investimentos = curto prazo.

Para os investimentos de curto prazo, orienta-se avaliar os títulos do governo, como LFT e os fundos DI (Fundos de renda fica compostos por títulos atrelados a SELIC) ou fundos IMAB (Fundos compostos por títulos do tesouro nacional vinculados à inflação – IPCA).

Os títulos do governo são bons investimentos, e devem ser resgatados sempre na data do vencimento, para não perder a rentabilidade.

Em decorrência da atual política de juros, com o aumento gradativo da SELIC, é importante avaliar os investimentos em renda fixa, principalmente os atrelados ao IPCA.

Da mesma forma, é necessário prestar atenção aos valores das taxas de administração que devem ser fixadas entre 0,3% e 0,4% para investimentos em títulos do governo.

Já a taxa de administração de Fundos DI não deve superar 1%, o ideal que seja fixada entre 0,5% e 0,7% ao ano.

Mas é sempre bom lembrar qual o objetivo do investimento para então decidir se a melhor opção é o de curto prazo.

Gostou da dica? Compartilhe!

Vem conosco. Viva, Renato “O Cara da Previdência”!

Deixe uma resposta